Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.

Última hora

Última hora

Demissão de Mugabe multiplica festejos no Zimbabué

Demissão de Mugabe multiplica festejos no Zimbabué
Tamanho do texto Aa Aa

Cantam porque é o fim de uma era. Mal se anunciou que Robert Mugabe se demitia da presidência do Zimbabué, os festejos irromperam por todo o país.

A resposta é muito rápida quando se pergunta: e agora? “Agora temos um futuro brilhante pela frente. Temos tudo o que é preciso para sermos o melhor país do mundo. Temos minerais, terras, competências, pessoas qualificadas e um povo muito trabalhador”, dizia-nos uma mulher em Harare.

Foram 37 anos no poder e vários dias a resistir para não o deixar, após a intervenção militar que acabou por ditar o seu afastamento.

Para a história fica o momento em que o presidente da câmara baixa do parlamento zimbabueano leu a carta de demissão do presidente de 93 anos.

O homem visto durante décadas como um dos símbolos do despotismo africano terá acabado por sucumbir às manobras políticas da mulher, Grace Mugabe, que pretendia suceder-lhe no poder. O afastamento do vice-presidente Emmerson Dambudzo Mnangagwa há algumas semanas transformou-se na gota que faz transbordar agora de alegria os zimbabueanos.