Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.

Última hora

Última hora

Deputado pede namorado em casamento no parlamento australiano

Deputado pede namorado em casamento no parlamento australiano
Tamanho do texto Aa Aa

O pedido não é habitual, pelo menos dentro de um parlamento.

Tim Wilson, deputado do Partido Liberal da Austrália, pediu em casamento o companheiro, Ryan Bolge, o qual estava sentado na galeria. O pedido surgiu em pleno debate sobre o casamento homossexual, numa altura em que a Austrália se prepara para legalizar o casamento entre pessoas do mesmo sexo.

"No meu primeiro discurso, defini o nosso vínculo pelo anel que fica nas nossas duas mãos esquerdas. (...) Estes anéis são a resposta para a pergunta que não podemos fazer", disse o deputado. "Então, só falta fazer uma coisa. Ryan Patrick Bolger, queres casar comigo?", perguntou Tim Wilson, num discurso emocionado. 

Não tardou a ouvir-se "Sim" e todo o parlamento aplaudiu o momento. 

Em onda de mudança e a preparar-se para fazer hist´´oria, a Austrália está a um passo de legalizar o casamento homossexual, após votar "Sim" no referendo do mês passado.

O primeiro ministro australiano, Malcom Turnbull, disse no parlamento que foi o primeiro líder no país "a apoiar de forma consistente a legalização do casamento entre pessoas do mesmo sexo" e que o casamento não é nada mais do que um compromisso de amor: "Vamos ser honestos uns com os outros, a ameaça que surge no casamento tradicional não é o casamento homossexual, mas sim a falta de amor, que pode ser encontrado na negligência, no adultério, na crueldade ou na indiferença." Malcom Trunbull, disse ainda que a "(...) co-dependência é uma coisa positiva e as pessoas homossexuais estão melhores juntas do que sozinhas e isoladas.".

A decisão final pertence agora à Câmara dos Representantes, após uma maioria dos senadores ter aprovado a nova lei.