EventsEventos
Loader

Find Us

PUBLICIDADE

Egito desvenda túmulos com mais de 3500 anos

Egito desvenda túmulos com mais de 3500 anos
Direitos de autor 
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

O governo egípcio acredita que esta descoberta possa ajudar a revitalizar o importante setor económico do turismo de antiguidades.

PUBLICIDADE

É uma descoberta com mais de 3500 anos. O Egito apresentou publicamente este sábado os restos de dois antigos túmulos na cidade de Luxor e que remontam à época do Novo Reino, na 18ª dinastia egípcia.

De acordo com os arqueólogos, os dois túmulos pertencem a elementos da nobreza ou a altos funcionários, devido à riqueza e diversidade de artefactos que acompanhavam os corpos. Entre os achados em elevado estado de conservação contam-se uma múmia, diversos ossos, máscaras e estatuetas de madeira.

Os túmulos, que só agora foram analisados depois da sua descoberta nos anos 90 pela arqueóloga alemã Frederica Kampp, situam-se na necrópole de Draa Abul Nagaa, nas margens do Nilo, perto do famoso Vale dos Reis, onde estão diversos faraós, como Tutankhamon.

O governo do Egito já realçou a importância desta descoberta, num esforço para revitalizar o setor do turismo de antiguidades, que está em quebra e é decisivo para a economia do país.

"É, verdadeiramente, um dia excecional", disse o ministro egípcio das Antiguidades, Khaled al-Anani, acrescentando: "Os túmulos privados da 18ª dinastia já eram conhecidos. Mas é a primeira vez que se entra dentro dos dois túmulos".

Outrora um expoente da economia do Egito, o turismo de antiguidades ressentiu-se fortemente nos últimos anos por causa da instabilidade política na região, nomeadamente com o crescimento da ameaça do Daesh.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Será uma "pizza antiga" nas paredes de Pompeia?

Segurança do Titan posta em causa

Peru: Múmia pré-hispânica descoberta numa colina de Lima