Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.

Última hora

Última hora

Confrontos em Lima depois de conhecido indulto a Alberto Fujimori

Confrontos em Lima depois de conhecido indulto a Alberto Fujimori
Tamanho do texto Aa Aa

Apoiantes e críticos do antigo presidente peruano, Alberto Fujimori, envolveram-se em confrontos na madrugada de natal, na capital, Lima.

As tensões começaram depois de conhecida a decisão do presidente Pedro Pablo Kuczynski de conceder um indulto a Fujimori, justificando as medidas "por razões humanitárias."

A polícia separou os manifestantes à porta da Clínica Peruano-Japonesa, onde se encontra internado o antigo presidente.

Indulto conhecido no domingo

 Pedro Pablo Kuczynski, anunciou no domingo que concedeu perdão humanitário ao antigo chefe de Estado, Alberto Fujimori, condenado a uma pena de 25 anos de prisão por abuso de direitos humanos e corrupção.

Alberto Fujimori, de 79 anos, já havia pedido o perdão em meados deste mês devido ao seu estado de saúde debilitado.

Segundo o comunicado agora emitido pela Presidência do Peru, uma junta médica avaliou a situação e verificou que Alberto Fujimori sofre de “uma doença progressiva, degenerativa e incurável”.

No sábado, Alberto Fujimori foi transferido da prisão, onde cumpre uma pena de 25 anos de cadeia, para uma clínica da capital, Lima, devido a tensão arterial baixa e arritmia, anunciou o seu médico.

Na prisão por violações dos Direitos Humanos

Presidente do Peru de 1990 a 2000, Alberto Fujimori cumpre desde 2007 uma pena de 25 anos de prisão por corrupção e crimes contra a humanidade.

Os filhos de Alberto Fujimori apresentaram um pedido de indulto por razões humanitárias, que foi rejeitado por o seu estado de saúde não ser grave.

Logo após a eleição de Pedro Pablo Kuczynski submeteram outro pedido nesse sentido que acabou por ser retirado após a recusa do atual chefe de Estado em avaliar essa opção.

Durante a transferência de ambulância, da prisão para a clínica particular em Lima, Alberto Fujimori foi acompanhado pelo seu filho mais novo, o deputado Kenji Fujimori, que disputa a herança política do pai com a sua irmã Keiko.