Última hora

Última hora

Os locais históricos mais procurados pelos internautas estão na União Europeia

Em leitura:

Os locais históricos mais procurados pelos internautas estão na União Europeia

Os locais históricos mais procurados pelos internautas estão na União Europeia
Tamanho do texto Aa Aa

Paris, Roma, Istambul ou Viena, mas também o antigo campo de concentração de Auschwitz Birkenau, na Polónia, a Cidade do Vaticano ou as Ruínas de Pompeia.

São alguns dos lugares mais populares do mundo, não só em termos de turistas, mas também no que à Internet diz que respeito.

É, pelo menos, o que diz um estudo levado a cabo pela agência europeia de estatística, a Eurostat, que cruzou dados relativos à visita de várias  páginas na Wikipedia, em diferentes línguas.

O projeto contemplou cerca de mil lugares considerados como Património da Humanidade pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura, a UNESCO, nos cinco continentes.

O continente que concentra mais interesse da parte de quem faz pesquisa nas redes é a velha Europa. A página da Wikipedia sobre as margens do Sena, em Paris, por exemplo, recebeu, em 2015, cerca de sete milhões de visitas individuais, sendo o local mais popular. 

A seguir, com seis milhões de visitantes individuais, ecnontra-se o centro histórico da cidade de Roma.

Entre os locais históricos mais populares, destaque também, de acordo com as visitas às páginas da Wikipedia, para a a Estátua da Liberdade, em Nova Iorque, para a Grande Muralha da China,  para Machu Picchu, no Peru, ou para o Taj Mahal, na Índia. 

O projeto da Eurostat encontra-se ainda, no entanto, numa fase piloto. Tem como objetivo tirar partido dos dados que nos podem fornecer sites como a Wikipedia.

Procura saber como se portam as pessoas online e de que forma pode ser utilizada a recolha de dados acerca desse comportamento para estabelecer padrões, tendências e modas.

Em poucas palavras, a Wikipedia é encarada como uma das grandes fontes para jornalismo de dados.

Para cada lugar, cidade ou monumento, Património da Humanidade da UNESCO, tido em conta, foram selecionadas 31 línguas e contabilizadas as visitias individuais.

A Europa celebra, em 2018, o Ano Europeu da Herança Cultural, uma iniciativa para valorizar e dar a conhecer a importância das raízes culturais dos Europeus.