EventsEventosPodcasts
Loader

Find Us

PUBLICIDADE

Coligação alemã com parto difícil

Coligação alemã com parto difícil
Direitos de autor 
De  Nelson Pereira
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Conservadores e sociais-democratas alemães à procura de um acordo de coligação. Merkel e Schulz no mercado das concessões, com as bases partidárias a pedir contas

PUBLICIDADE

Conservadores e sociais-democratas alemães em contra-relógio, à procura de um acordo de coligação que tire do impasse político o país, quatro meses após as legislativas de setembro.

Era esperado um compromisso este domingo, mas as discussões poderão prolongar-se até segunda ou terça-feira.

Conversações difíceis, segundo Angela Merkel:

"Estou confiante, mas é claro que com uma certa expectativa de que enfrentamos negociações difíceis na reunião de hoje. Sabemos que tarefa nos cabe cumprir e procuramos fazer-lhe justiça", admitiu a chanceler.

Foi definido um compromisso sobre energia e agricultura, mas não sobre o serviço público de saúde.

O líder social-democrata, Martin Schulz, procura obter o acordo dos conservadores para a supressão dos contratos de trabalho a termo e a criação de um seguro universal de saúde que substitua o sistema de saúde misto, público e privado.

"Hoje temos pela frente negociações difíceis, esperemos que até ao fim do dia surja um compromisso", disse Martin Schulz.

O líder do SPD tem de apresentar resultados aos militantes sociais-democratas, mas Merkel não tem hoje a posição de força que tinha em 2013 entre os conservadores, dispõe assim de menos campo de manobra para fazer concessões ao SPD.

Os militantes do SPD têm a última palavra sobre um eventual acordo. O partido colheu apenas 20,5% dos votos nas legislativas e está desde então em queda nas sondagens e dividido. Parte significativa dos militantes sociais-democratas querem que Schulz respeite a promessa de uma viragem à esquerda e que não ceda nas negociações com Merkel.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Novos ataques aéreos israelitas em Gaza fazem pelo menos 100 mortos

Organizadores da COP 28 estão otimistas

Apoios de União Europeia e Estados Unidos à Ucrânia em risco