Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.

Última hora

Última hora

Trump diz que teria agido mesmo desarmado na Florida

Trump diz que teria agido mesmo desarmado na Florida
Direitos de autor
REUTERS/Jonathan Ernst
Tamanho do texto Aa Aa

Donald Trump afirmou, segunda-feira, depois de um encontro na Casa Branca com governadores de 39 estados norte-americanos, que teria agido mais depressa, no caso do massacre, na Florida, que terminou com a morte de 17 estudantes, do que os agentes enviados para o local.

O Presidente dos EUA admitiu, ainda assim, que nunca se sabe o que se faria antes de se passar pela situação mas não deixou de criticar a ação dos agentes que esperaram quatro minutos antes de entrar quando já se ouviam tiros:

"A forma como atuaram foi, francamente repugnante. Eles estavam a ouvir o que estava a acontecer. Um, em particular, que chegou em primeiro e depois os outros três. Sabem? Acho que nunca se sabe até sermos testados mas, na verdade, acredito que teria entrado, mesmo que não tivesse uma arma", afirmou o chefe de Estado.

Para Trump, o primeiro agente a chegar e os outros adjuntos do xerife que chegaram depois não agiram de forma a merecer, propriamente, "medalhas de honra".

Esta tragédia, que levou o chefe de Estado a clamar por armas nas salas de aulas, para os professores, desencadeou um onda de criticas e um movimento anti-armas, conduzido também por estudantes que sobreviveram ao massacre.