A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

Greenpeace protesta no Danúbio contra resíduos nucleares

Greenpeace protesta no Danúbio contra resíduos nucleares
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Dezenas de ativistas protestaram no rio Danúbio contra o que definiram como "o perigo nuclear" na Hungria, alertando para a existência de resíduos tóxicos em território nacional que são, de acordo com a Greenpeace, ignorados por Budapeste.

Os ativistas remaram em canoas e deixaram um barril insuflável de grandes dimensões no rio, com o símbolo associado à energia nuclear.

O Governo anunciou que pretende expandir uma central nuclear existente em Paks, no condado de Tolna, centro da Hungria.

A Greenpeace Hungria diz que, longe de resolver o problema dos resíduos, a construção da anunciada Paks II vai agravá-lo.

A organização diz que, para além de economicamente pouco viável, a construção da Paks II significa que a Hungria terá de lidar com resíduos nucleares durante 250 mil anos.

A Greenpeace Hungary lançou, entretanto, uma petição que exige ao Executivo que desista da construção enquanto "não houver solução para os resíduos" nem uma "alternativa para o consumo de energia nuclear."

Os ativistas dizem que a petição já foi assinada por mais de 25 mil pessoas.

A legislação da União Europeia obriga a que cada país armazene no seu território os resíduos nucleares que produz, pelo que a Hungria se vê obrigada a gerir o problema sem a opção de enviar os resíduos para outras regiões.