Última hora

Ladrão de bitcoins foge da Islândia no mesmo voo da primeira-ministra

0s 600 computadores roubados estão avaliados em 2 milhões de dólares
0s 600 computadores roubados estão avaliados em 2 milhões de dólares -
Direitos de autor
REUTERS/Jemima Kelly
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Sindri Thor Stefansson é o homem mais procurado da Islândia. Há dois meses foi preso, acusado de ter roubado 600 computadores usados na produção de bitcoins. Esta semana fugiu da prisão e os detalhes já conhecidos da fuga parecem ficção.

Singri tinha sido transferido recentemente para a prisão de Sogni, um dos três estabelecimentos prisionais de baixa segurança da Islândia. Terá fugido pela janela e percorrido 100 quilómetros até ao aeroporto mais próximo. Aí, sem ser incomodado, terá apanhado um avião para Estocolmo.

Ironia suprema: a bordo do avião seguia também a primeira-ministra islandesa, em viagem oficial.

A polícia não tem rasto de Sindi, mas garante que o vai capturar. "Só posso dizer sem sombra de dúvida que o vamos apanhar, mas onde e quando, é agora muito difícil de dizer. Podem ser semanas, meses ou até mesmo anos," diz Gunnar Ólafur Schram, agente da polícia de Suðurnes, em declarações à Reuters.

Sindri já é conhecido como o ladrão de Bitcoins. Foi entretanto emitido um mandado internacional de captura. As autoridades islandesas estão a trabalhar com a Europol, para já sem sucesso.

A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.