Última hora

Última hora

Autoridades dizem que mortes nos Alpes se devem a queda e hipotermia

Em leitura:

Autoridades dizem que mortes nos Alpes se devem a queda e hipotermia

Autoridades dizem que mortes nos Alpes se devem a queda e hipotermia
Tamanho do texto Aa Aa

De acordo com as autoridades, o grupo de 14 esquiadores que se perdeu e passou a noite ao relento no Cantão suíço do Valais, tentou proteger-se, mas a tempestade era demasiado forte e as temperaturas baixas.

"Sairam da cabana onde se encontravam e passaram pela zona conhecida como a Passagem da Serpentine", explicou um agente da polícia aos jornalistas.

"De repente, foram apanhados por uma enorme tempestade. E tiveram de permanecer a noite toda ao relento a uma altitude muito elevada."

Pascal Gaspoz chefe das equipas de resgate, contou como encontraram as vítimas quando chegaram ao local:

"As pessoas encontravam-se a cerca de 30 metros uns dos outros. Tentaram dormir e proteger-se do vento atrás de umas rochas. Não estavam longe, mas estavam demasiado longe para que alguém pudesse ouvir os pedidos de socorro deles."

Quatro pessoas morreram nos Alpes suíços por causa do mau tempo e pelo menos cinco pessoas ficaram feridas com gravidade.

Uma pessoa morreu numa queda, as restantes vítimas morreram por hipotermia. O acidente teve lugar em Pigne d'Arolla, cantão de Valais no sul da Suíça.

O alarme tinha sido dado no domingo.

O aumento do número de mortes nos Alpes franceses e suíços durante este inverno fica a dever-se ao aumento do número de avalanches.

Segunda-feira duas pessoas morreram perto do Monte Branco. As autoridades suíças e francesas pedem que se tenha em conta as previsões do tempo antes de se ir para a montaha.