Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.

Última hora

Última hora

Sindicatos lamentam desunião no 1° de Maio em Paris

Sindicatos lamentam desunião no 1° de Maio em Paris
Tamanho do texto Aa Aa

O outro lado do tão conturbado 1° de Maio em Paris assenta em números e em caminhos opostos. Segundo a plataforma sindical CGT, vieram mais de 55 mil pessoas mostrar um descontentamento que se anuncia como generalizado: as greves repetem-se em vários setores.

Como nos dizia uma trabalhadora da SNCF, a companhia francesa de transportes ferroviários: "O problema é sempre o mesmo, seja nos hospitais, nos lares, nos correios, nos comboios... Não há gente suficiente para fazer tudo".

Mas o que ficou também patente foi a falta de convergência entre líderes sindicais perante um governo acusado de semear a divisão. "O que nos falta é unidade a nível nacional, como vemos acontecer em certas empresas ou em certas profissões", afirmava Philippe Martinez, líder da CGT.

Os apelos às greves multiplicam-se. No setor ferroviário, que tem paralisado sistematicamente os transportes, foi convocada uma nova mobilização para esta quinta-feira.