A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

Protestos mortais no Iraque

Protestos mortais no Iraque
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Continuam os protestos no sul do Iraque contra as más condições de vida, o desemprego e a corrupção. Seis meses após o anúncio da vitória contra o grupo Estado Islâmico, o descontentamento popular contra a classe dirigente veio à tona, numa altura em que os políticos lutam para formar Governo, na sequência das eleições de maio.

Na terça-feira, o primeiro-ministro iraquiano, Haider al-Abadi, apelou aos contestatários para cooperarem, após uma semana de protestos, mas garantiu que tinha pedido às forças de segurança para respeitarem o direito de manifestação.

Mas oito pessoas já morreram nos protestos, atingidas por balas de atiradores não identificados. A AFP diz que as forças da ordem dispararam para o ar balas reais.

As manifestações começaram depois de vários dias com cortes de luz e escassez de água.