EventsEventos
Loader

Find Us

FlipboardLinkedin
Apple storeGoogle Play store
PUBLICIDADE

Tiroteio em Toronto abre debate sobre uso de armas no Canadá

Tiroteio em Toronto abre debate sobre uso de armas no Canadá
Direitos de autor 
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button

Ainda não são conhecidas as motivações do suspeito de 29 anos, nem se foi abatido ou se suicidou.

PUBLICIDADE

Três mortos, entre eles o atirador e 12 feridos. Este é o último balanço do tiroteio que ocorreu em Toronto este domingo à noite. Ainda não são conhecidas as motivações do suspeito de 29 anos, nem se foi abatido ou se suicidou. Um vídeo gravado por uma testemunha e publicado no Twitter mostra o indivíduo a passar em frente a um restaurante, a pegar numa arma e a disparar indiscriminadamente.

John Tory, autarca de Toronto, explica que "é quase inconcebível que estas coisas possam acontecer. Nós estávamos tão acostumados a viver numa cidade onde estas coisas não aconteciam. Víamos acontecer este tipo de ataque no resto do mundo, pensavamos que não aconteciam aqui. Tenho de pedir às pessoas tentem manter a calma enquanto a polícia faz o seu trabalho. "

Justin Trudeau, o primeiro ministro do Canadá, no twitter, manifestou todo o apoio às vítimas e familiares.

Este caso levanta o debate sobre o uso de armas no país ainda que não existam tantos casos como nos Estados Unidos. Paula Fletcher, vereadora Câmara Municipal de Toronto afirmou que "temos de fazer alguma coisa em relação às armas. Temos um problema de armas na cidade de Toronto. Porque precisamos de armas de fogo, pistolas ou qualquer outro tipo de armas dentro dos limites da cidade? É ridículo."

As autoridades canadianas estão a pedir às testemunhas e residentes do local que enviem todo o tipo de gravações ou fotografias que tenham, de forma a conseguirem avançar na investigação.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Massacre de Columbine foi há 20 anos

Pelo menos 10 feridos em tiroteio na cidade de Manchester

Guerra de palavras aumenta entre o Canadá e a Arábia Saudita