Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.

Última hora

Última hora

Sul-americanas protestam contra a lei do aborto

Sul-americanas protestam contra a lei do aborto
Tamanho do texto Aa Aa

As argentinas prometem continuar a lutar pela legalização do aborto e contam com o apoio das mulheres de outros países da América do Sul. O Senado chumbou, quinta-feira, a despenalização do aborto até às 14 semanas, gerando protestos em países, como o Brasil e o Peru.

Segundo os media argentinos, o Governo de Macri estará a ponderar introduzir a despenalização no projeto de revisão do Código Penal, mas esta opção não garantirá a assistência médica às mulheres como numa lei sobre o aborto. O projeto de revisão do Código Penal deve ser enviado ainda este mês para o Congresso.

"Agora temos um problema de fundo que não vai mudar com mais uma lei. Temos mais de cem mil crianças que nascem de gravidezes adolescentes, não desejadas. Este é um tema central para mim que está na minha agenda diária de trabalho, porque queremos que estas raparigas tenham a possibilidade de escolher e de planificar a sua vida", afirmou o presidente da Argentina, Mauricio Macri.

A Câmara de Deputados tinha aprovado em junho a legalização do aborto até às 14 semanas.