Última hora

Libertação de assassino de Lennon novamente recusada

Libertação de assassino de Lennon novamente recusada
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Pela décima vez consecutiva, as autoridades de Nova Iorque recusaram o pedido de liberdade condicional do assassino de John Lennon, Mark David Chapman, hoje com 63 anos.

Chapman matou a tiro o antigo membro dos Beatles a 8 de dezembro de 1980, à porta da sua casa em Manhattan.

A cumprir uma pena de entre 20 anos à prisão perpétua no estabelecimento de máxima segurança de Wende, no Estado de Nova Iorque, Chapman tem efetuado sem sucesso, cada 2 anos desde 2000, um pedido de liberdade condicional. No documento que justifica esta nova recusa, é explicado que ele continua a representar um perigo para a sociedade e que libertá-lo "menosprezaria a gravidade do seu crime".

A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.