Libertação de assassino de Lennon novamente recusada

Libertação de assassino de Lennon novamente recusada
Direitos de autor 
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Pela décima vez consecutiva, o assassino de John Lennon, Mark David Chapman, vê recusado o pedido de liberdade condicional

PUBLICIDADE

Pela décima vez consecutiva, as autoridades de Nova Iorque recusaram o pedido de liberdade condicional do assassino de John Lennon, Mark David Chapman, hoje com 63 anos.

Chapman matou a tiro o antigo membro dos Beatles a 8 de dezembro de 1980, à porta da sua casa em Manhattan.

A cumprir uma pena de entre 20 anos à prisão perpétua no estabelecimento de máxima segurança de Wende, no Estado de Nova Iorque, Chapman tem efetuado sem sucesso, cada 2 anos desde 2000, um pedido de liberdade condicional. No documento que justifica esta nova recusa, é explicado que ele continua a representar um perigo para a sociedade e que libertá-lo "menosprezaria a gravidade do seu crime".

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Agentes da autoridade mortos a tiro no Estado de Nova Iorque

Nova Iorque sacudida por terramoto de 4,8 na escala de Richter, o maior em mais de 40 anos

Israel vai abrir dois corredores de ajuda humanitária em Gaza após aviso dos EUA