Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.
Última hora

Itália autoriza finalmente desembarque de migrantes do 'Diciotti'

Itália autoriza finalmente desembarque de migrantes do 'Diciotti'
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Os 150 migrantes a bordo do barco militar italiano 'Diciotti', atracado há seis dias no porto de Catânia, puderam finalmente desembarcar nas primeiras horas deste domingo e foram levadas para um centro de acolhimento em Messina.

A imprensa italiana reportou que entre os resgatados no Mediterrâneo existiriam alguns casos de tuberculose, sarna e pneumonia.

A autorização do desembarque chegou apenas depois do ministro do Interior italiano, Matteo Salvini, ter garantido que outros países europeus, como a Albânia e a Irlanda, bem como algumas dioceses da Igreja Católica acolheriam estes migrantes.

A conduta do ministro e líder da Liga, partido da extrema direita italiana, está a gerar polémica. O ministério Público de Agrigento, na Sicília, abriu um inquérito contra Salvini por alegado "sequestro de pessoas, detenções ilegais e abuso de poder".

A resposta de Salvini chegou rápida e através da rede social Twitter, com o ministro a garantir esperar de braços abertos a ação judicial por estar a defender o país.

No entanto, os reparos de Salvini à justiça foram já censurados por Luigi Di Maio, vice-primeiro- ministro e líder do Movimento Cinco Estrelas, que exigiu o fim das críticas entre procuradores e políticos.

A imigração está na ordem do dia em Itália, sobretudo com a chegada da coligação Cinco Estrelas-Liga ao governo italiano, em junho. Através de Salvini, o país adotou uma controversa política de intransigência à entrada de novos migrantes.

Desde 2014, mais de 650 mil pessoas chegaram à costa de Itália.