EventsEventosPodcasts
Loader
Find Us
PUBLICIDADE

Asia Argento acusa Jimmy Bennet de abuso sexual e extorsão

Asia Argento acusa Jimmy Bennet de abuso sexual e extorsão
Direitos de autor REUTERS/Stephane Mahe/File Photo
Direitos de autor REUTERS/Stephane Mahe/File Photo
De  Euronews
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Em agosto, o ator norte-americano disse ter sido abusado sexualmente pela atriz italiana em 2013, quando tinha 17 anos. O advogado de Asia emitiu um comunicado onde afirma que a atriz é a verdadeira vítima e que Bennet está "desesperado por dinheiro".

PUBLICIDADE

Asia Argento afirma que foi vítima de abuso sexual e depois extorquida por Jimmy Bennet.

Em agosto, o ator norte-americano disse ter sido abusado sexualmente pela atriz italiana em 2013, quando tinha 17 anos.

O advogado de Asia emitiu um comunicado onde afirma que a atriz é a verdadeira vítima e que Bennet está "desesperado por dinheiro".

Mark Jay Heller assegurou, ainda, que Asia Argento não vai processar o jovem, agora com 22 anos, devido ao seu "passado infeliz" e pelo facto da sua carreira de ator ter sido roubada.

O advogado afirma que Jimmy Bennet encontrou uma maneira rápida de ganhar dinheiro quando soube que a atriz namorava com o chef Anthony Bourdain. Os atores chegaram a um acordo e o jovem receberia 380 mil dólares pelo silêncio. Parte do valor, 250 mil dólares, saiu dos bolsos de Bourdain que morreu em junho deste ano.

Asia Argento foi uma das primeiras e mais mediáticas mulheres a acusar publicamente o produtor de Hollywood Harvey Weinstein por agressão sexual.

A atriz é uma das fundadoras do movimento #MeToo, que expôs dezenas de casos de abuso sexual na indústria cinematográfica de Hollywood.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Turista espanhola violada por um grupo na Índia

Principal suspeito do rapto de Madeleine McCann volta a tribunal na Alemanha

Mulheres que dizem ter sido abusadas por um jesuíta outrora famoso exigem transparência ao Vaticano