Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.
Última hora

Mangkhut deixa pelo menos oito mortos em Luzón

Mangkhut deixa pelo menos oito mortos em Luzón
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

O super tufão Mangkhut, o mais forte da temporada, castigou com violência o arquipélago das Filipinas, deixando pelo menos oito mortos e forçando milhares de pessoas a deixar as casas. Mais de 100 mil pessoas foram para outras zonas desta região predominantemente rural.

As mortes ficam a dever-se, de acordo com os serviços de resgate, a deslizamentos de terra. Uma jovem afogou-se e um agente de segurança morreu soterrado depois da queda de um muro. Na ilha de Taiwan, uma mulher foi levada pelo mar.

Espera-se que os números de vitimas mortais aumente nas próximas horas. De acordo com a agência noticiosa AFP, a trajetória de Mangkhut, passou por cerca de quatro milhões de residentes na ilha de Luzón, a maior do arquipélago.

Em 2013, o furacão Hayan foi o mais mortífero a afetar as Filipinas, com ondas gigantes, semelhantes às de um tsunami. Na altura, morreram e desapareceram mais de 7300 pessoas.

Rumo ao sul da China

O super tufão dirige-se agora para o Mar do Sul da China, ainda que mais enfraquecido, depois de ter atingido ventos na ordem dos 330 quilómetros por hora. As autoridades dizem que o tufão produz agora rajadas de 160 quilómetros por hora.

As autoridades de Macau e de Hong Kong estão atentas à chegada da tempestade. A companhia aérea Cathay Pacífic espera anular até 400 voos nos próximos dias.

Tanto em Macau como em Hong Kong os estabelecimentos depressa ficaram sem mantimentos, de supermercados a padarias. Os residentes das duas Regiões Administrativas Especiais chinesas preparavam-se para dias muito complicados.

Macau em alerta

As autoridades de Macau anunciaram que vão içar o sinal 1 de tempestade tropical assim que o Mangkhut estiver a menos de 800 quilómetros do território.

Em Macau, é no domingo que o tufão vai "passar pelo ponto mais próximo" do território, dia em que são esperados “ventos muito fortes e inundações graves" nas zonas baixas, provocadas por maré de tempestade. O nível da água pode subir entre um e 2,5 metros.

O tufão Hato, o pior nos últimos 53 anos, atingiu Macau a 23 de agosto passado e causou 10 mortos, mais de 240 feridos e prejuízos avaliados em 1,3 mil milhões de euros.