Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.
Última hora

Macedónia vulnerável a notícias falsas

Macedónia vulnerável a notícias falsas
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

A localidade de Veles na Macedónia tornou-se conhecida no mundo inteiro como um dos principais centros de produção de notícias falsas durante a campanha eleitoral para as eleições presidenciais norte-americanas de 2016.

"Foram registadas dezenas de milhar de contas, especialmente no twitter, e o que fazem é espalhar informações falsas"

Sashka Cvetkovska Jornalista de investigação, Rede OCCRP

Mas a menos de duas semanas de um referendo sobre a mudança de nome, tudo sugere que a Macedónia sucumbiu à ameaça das notícas falsas.

A rede de jornalismo de investigação OCCRP está a acompanhar o caso.

"Estamos a seguir e a investigar os locais de produção de notícias falsas que usam o hashtag #bojkotiram que significa boicotar o referendo. Foram registadas dezenas de milhar de contas, especialmente no twitter, e o que fazem é espalhar informações falsas provenientes de fontes externas", adianta Sashka Cvetkovska, jornalista de investigação da rede OCCRP (Projeto de investigação sobre a corrupção e crime organizado).

Os peritos afirmam que existe influência estrangeira, possivelmente da Rússia cujo objetivo é impedir que a Macedónia se junte à NATO.

O antigo diplomata norte-americano e atual consultor político, David Stephenson, afirma ser possível que a Rússia esteja por detrás das notícias falsas.

"Apesar de não ter provas concretas, penso que é provável que sejam eles a fonte das notícias falsas. É assim que funcionam, tentam dividir a sociedade e capitalizar em algo que é no seu interesse estratégico, e que neste caso é impedir que a Macedónia se junte à NATO", afirma.

É no dia 30 de setembro que tem lugar um referendo sobre o futuro nome do país. Caso o referendo adote a nova designação de República da Macedónia do Norte, tal poderá abrir as portas à inclusão da Macedónia na NATO e na União Europeia.

O repórter da euronews Borjan Jovanovski está a acompanhar os desenvolvimentos:

"Num estudo recente a Macedónia foi classificada como o país mais vulnerável ao fenómeno das notícias falsas na Europa. A razão para esta situação, a qual ameaça os interesses estratégicos do estado relativos à integração nas instituições da Aliança Atlântica, é a vulnerabilidade das instituições democráticas no país assim como a atitude frente à comunicação social".