Última hora

Ex-ministro dos Negócios Estrangeiros britânico apresenta plano alternativo de brexit

Ex-ministro dos Negócios Estrangeiros britânico apresenta plano alternativo de brexit
Tamanho do texto Aa Aa

O congresso anual do partido conservador britânico teve início hoje em Birmingham, em clima de críticas e conflito.

Em entrevistas bem como num artigo publicado este fim de semana por Boris Johnson, o ex-ministro dos Negócios Estrangeiros britânico defendeu que se devem "deitar fora" os planos de Chequers e negociar um novo acordo, que designou por "Super Canadá". No artigo sugeriu também a construção de uma ponte para a Irlanda, afirmando que não prevê controlos em nenhum dos lados da fronteira irlandesa.

De acordo com a contra-proposta de Boris Johnson, as trocas comerciais entre a Irlanda do Norte e a irlanda seriam reguladas por um acordo comercial semelhante ao celebrado entre a UE e o Canadá, mas com cooperação próxima em áreas como a aviação, defesa e segurança.

As suas posições não são novas mas o objetivo de Boris Johnson é o de se apresentar no congresso como possível candidato à liderança do partido. Theresa May celebra hoje o seu aniversário mas o clima no congresso não será de festa. Enquanto a primeira-ministra continua a insistir na defesa dos seus planos de Chequers, a luta pela liderança do partido é evidente.

Em reuniões paralelas de Boris Johnson com o ex-ministro para a saída da união europeia David Davis e com o deputado da ala conservadora do partido Jacob Rees-Mogg, entre outros, os deputados estão a tentar lançar uma campanha de desafio à liderança de Theresa May.

No entanto, na ala moderada do partido vários deputados tomaram já a palavra em defesa dos planos de Chequers como a única solução viável. Em entrevista ao tabloide britânico Daily Mail, o ministro das Finanças britânico, Philip Hammond, que tem sido uma figura estável no governo de Theresa May nos últimos dois anos de negociações, lançou fortes críticas a Boris Johnson, afirmando que este nunca será primeiro-ministro do Reino Unido, que o maior feito da sua carreira foi a introdução do programa "Boris Bikes" em Londres e que não compreende os detalhes de problemas políticos complexos, tais como o brexit.

A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.