Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.
Última hora

Último adeus a Viktoria Marinova

Último adeus a Viktoria Marinova
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Último adeus a Viktoria Marinova. O funeral da jornalista foi realizado na cidade búlgara de Ruse na presença de amigos e familiares e debaixo de fortes medidas de segurança. Marinova foi encontrado morta no passado sábado no rio Danúbio.

Na noite da última terça-feira, Severin Krassimirov, um cidadão búlgaro de 20 anos, foi preso perto da cidade alemã de Hamburgo. Admitiu ter atacado a jornalista sob a influência de álcool e drogas, embora negue tê-la violado. Marinova deixa uma filha de apenas sete anos.

"Este tipo de tragédias podem acontecer em qualquer lugar. O problema é que as pessoas começam a viver com medo, quando este género de mentes distorcidas se passeiam em liberdade", disse uma cidadã búlgara.

O alegado assassino da jornalista búlgara preso na Alemanha, com base num mandado de captura europeu, vai ser extraditado para a Bulgária. A Procuradoria Geral de Celle, no norte da Alemanha, indicou que o suspeito não se opôs à extradição - que deve acontecer num prazo máximo de dez dias.

O jornalista da euronews, Róbert Csákány, acrescenta que: "tudo começou algures aqui. No passado sábado, Viktoria Marinova corria aqui na margem do rio Danúbio. O agressor atacou-a, violou-a e matou-a. Mais tarde, fugiu para a Roménia por aquela ponte. Foi apanhado na Alemanha, onde está a aguardar extradição para a Bulgária, onde irá a julgamento".