Última hora
This content is not available in your region

Itália testa "paciência" europeia com orçamento despesista

De  Elena Cavallone
Itália testa "paciência" europeia com orçamento despesista
Tamanho do texto Aa Aa

A proposta de orçamento da Itália para 2019 já foi entregue em Bruxelas. O governo populista enviou o documento para a Comissão Europeia com uma previsão de défice, em 2019, de 2,4% do PIB, três vezes mais do que o aconselhado pelo executivo comunitário.

O governo italiano especula com a possibilidade de conseguir forçar o resto da zona do euro a assumir uma parte da sua dívida

Georg Kirchsteiger Professor de Microeconomia, Universidade Livre de Bruxelas

O presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, avisa que a Itália tem de respeitar as regras tal como os restantes 18 países da zona euro.

A dívida pública italiana - uma das mais altas da União Europeia - é, em grande parte, detida por bancos italianos. Mas o governo parece confiante de que os parceiros europeus poderão ajudar de forma diferente do que fizeram com outros países.

"O governo italiano especula com a possibilidade de conseguir forçar o resto da zona do euro a assumir uma grande parte da sua dívida. Penso que isso vai acontecer, mas o resultado dessa especulação pode ser muito grave", disse Georg Kirchsteiger, professor de Microeconomia na Universidade Livre de Bruxelas.

A Itália é a terceira maior economia da zona euro e o presidente do Eurogrupo pediu ao governo italiano para ser responsável. Mas Mário Centeno não considera que a estratégia do país possa colocar em risco toda a zona euro.

A atitude desafiante do governo de Roma levou o primeiro-ministro da Holanda a admitir discutir o tema na cimeira da União Europeia, esta semana.

A Comissão Europeia deverá pronunciar-se sobre os orçamentos dos Estados-membros antes do final do mês.

Nome do jornalista • Isabel Marques da Silva