EventsEventosPodcasts
Loader

Find Us

PUBLICIDADE

Rússia e Ucrânia homenageiam vítimas de ataque na Crimeia

Rússia e Ucrânia homenageiam vítimas de ataque na Crimeia
Direitos de autor REUTERS/Pavel Rebrov
Direitos de autor REUTERS/Pavel Rebrov
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Moscovo vê o incidente como uma perda russa, e agradece o apoio manifestado. O Presidente da Ucrânia, Petro Poroshenko, reclama que seja o seu país a ter jurisdição sobre a investigação.

PUBLICIDADE

Unidas pelo luto, Rússia e Ucrânia prestaram homenagem às vítimas do tiroteio de quarta-feira na faculdade da Crimeia.

As autoridades identificaram o atacante solitário como Vladislav Roslyakov, de 18 anos de idade - um estudante da Escola Politécnica Querche, onde ocorreu o ataque.

Testemunhas dizem que tudo começou com uma explosão que foi seguida de mais rebentamentos e depois de tiros.

Pelo menos 19 pessoas morreram e dezenas foram feridas antes de Roslyakov virar a arma contra si e se suicidar.

A Rússia anexou a Crimeia da Ucrânia em 2014, provocando condenação e sanções internacionais. Por isso, o Presidente da Ucrânia, Petro Poroshenko, reclama que seja o seu país a ter jurisdição sobre a investigação.

"Por que é tão importante para nós? Porque são cidadãos ucranianos e quando os cidadãos ucranianos são mortos, onde quer que isso aconteça, é uma tragédia," declarou Petro Poroshenko.

Mas Moscovo vê o incidente como uma perda russa, e agradece o apoio manifestado.

"Nestes momentos trágicos, somos gratos pelas palavras sinceras, pelas condolências e pelo apoio que recebemos," declarou a porta-voz da diplomacia russa, Maria Zakharova.

Contudo, para aqueles que em Kersh, à porta do hospital, aguardam por notícias dos seus familiares e amigos, essa é, provavelmente, uma discussão que pode esperar.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Ucrânia suspende participação no Conselho da Europa

Rússia interceta navios ucranianos

Manifestantes recordam ativista ucraniana