Última hora

Última hora

Nova Caledónia rejeita ser independente de França

Nova Caledónia rejeita ser independente de França
Tamanho do texto Aa Aa

56,4 por cento "Não", 43,6 por cento "Sim".

A Nova Caledónia rejeitou, em referendo, ser independente de França.

Uma votação concorrida, com 80 por cento dos eleitores a irem às urnas, e que acabou com um resultado bem mais equilibrado do que as sondagens previam. Os últimos inquéritos apontavam para uma vitória do "Não" entre os 63 e os 75 por cento.

O arquipélago no Oceano Pacífico vai assim continuar a ser um território francês apesar de estar a mais de 16 mil e 700 quilómetros de distância de Paris.

A partir do palácio do Eliseu, o Presidente Emmanuel Macron expressou o orgulho em terem "passado juntos esta etapa histórica" e disse que "o único derrotado é a tentação do desprezo, divisão, violência, medo, O único vencedor é o processo pela paz, que a Nova Caledónia tem desde há 30 anos. Espírito de diálogo que nada vai destruir."

Apesar de derrotados, os independentistas saudaram os resultados deste domingo e reafirmaram a vontade de pedir a organização de dois outros referendos sobre a autodeterminação, nos próximos quatro anos, tal como está previsto no acordo de Nouméa, de 1998 (que criou um estatuto especial de autonomia para o território, com a representação em Paris de dois deputados e dois senadores).