Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.

Última hora

Última hora

Oposição rejeita resultados de presidenciais georgianas

Oposição rejeita resultados de presidenciais georgianas
Tamanho do texto Aa Aa

Na Geórgia, a oposição rejeita o resultado das eleições presidenciais e apela a manifestações pacíficas.

Apoiado por onze formações opositoras e pelo ex-chefe de Estado Mikhail Saakashvili, o candidato derrotado, Grigol Vachadzé, descreveu o escrutínio como uma "farsa criminosa".

Os observadores da Organização para a Segurança e Cooperação na Europa exprimiram preocupação face a certos aspetos das eleições, como o "crescente uso indevido de recursos administrativos" a favor da candidata apoiada pelo partido no poder.

Primeira mulher eleita para a chefia de Estado no país, Salomé Zurabishvili disse, em entrevista à euronews, que "o escrutínio e a campanha ficaram marcados por oposições bastante violentas, oposições políticas, e agora é preciso entrar num período de reconciliação". Zurabishvili acrescentou que foi "eleita por uma sociedade que quer mais Europa na Geórgia e a Geórgia na União Europeia e os próximos seis anos serão muito importantes nesse sentido".

Eleita com 59,82 por cento dos votos, Zurabishvili, que nasceu em França, defende uma aproximação equilibrada com o Ocidente, sem antagonizar a Rússia, com a qual a Geórgia travou uma curta guerra no verão de 2008.