Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.

Última hora

Última hora

França proíbe pais de baterem nos filhos

França proíbe pais de baterem nos filhos
Tamanho do texto Aa Aa

O parlamento francês votou a favor da proibição dos pais baterem nos filhos, embora não exista uma punição para quem infringir esta lei. O código civil será atualizado e vai afirmar que os pais não podem recorrer à "violência física, verbal ou psicológica, nem ao castigo corporal ou à humilhação”.

A proposta foi aprovada com 51 votos a favor, um contra e três abstençõe.

No parlamento, o deputado do partido República em Marcha, Francois–Michel Lambert, afirmou que “uma criança deve sentir que está num lugar de confiança, de construção compartilhada, com vista a um novo mundo e um novo modelo”.

Com esta decisão, França fica alinhada com a maioria dos países da União Europeia.

A proposta da ministra francesa da igualdade de género, que contou com o apoio da primeira-dama, Brigitte Macron, foi criticada por alguns deputados conservadores que consideram que se trata de uma interferência na vida privada.

O pedopsiquiatra Pierre Canoui defende a necessidade de substituir as acões físicas por linguagem e emoções positivas.

"Deve haver limites, devemos bloquear e proibir algumas coisas, devemos ensinar, e devemos acabar com a ideia de que a ’criança é rei'. Mas é importante ser capaz de parar de usar ações físicas e usar meios mais evoluídos como linguagem e emoções positivas. "

O governo de Paris vai elaborar um relatório sobre a violência parental em França e a propor medidas para educar os pais.