Última hora

Última hora

Reino Unido: governo recua e promete publicar aconselhamento jurídico na íntegra

Em leitura:

Reino Unido: governo recua e promete publicar aconselhamento jurídico na íntegra

Reino Unido: governo recua e promete publicar aconselhamento jurídico na íntegra
Tamanho do texto Aa Aa

No Reino Unido, os deputados preparam-se para o segundo de cinco dias de debate sobre o acordo do Brexit antes da votação final agendada para o dia 11 de dezembro.

"Vale a pena refletir sobre como chegámos até aqui..."

Theresa May Primeira-ministra, Reino Unido

Antes do início dos trabalhos na terça-feira, a primeira-ministra, Theresa May, apelou à reflexão. Um apelo que provocou risos entre a oposição e não só.

"No início de cinco dias de debate que vão determinar o curso do nosso país para as próximas décadas, vale a pena refletir sobre como chegámos até aqui..."

Mas mesmo antes do início dos trabalhos, o governo britânico perdeu um voto crucial.

Deputados de todas as formações partidárias votaram a favor da publicação integral do aconselhamento jurídico relativamente ao acordo alcançado com a UE no mês passado.

Uma moção apresentada pela oposição trabalhista com vista a forçar o governo a publicar na íntegra a posição jurídica foi aprovada por 311 votos a favor contra 293 contra.

O governo foi obrigado a recuar comprometendo-se a publicar na íntegra o documento esta quarta.

O repórter da euronews, Vincent McAviney, está a acompanhar a situação.

"Feitas as contas, o que isto significa para Theresa May é que na realidade ela dirige um governo minoritário, o que abre a porta a uma moção de censura na Câmara dos Comuns nos próximos dias porque o governo não deveria perder votações como esta, em particular com a votação agendada para a próxima semana. Trata-se de uma oportunidade para verificar a força da oposição. Se eles avançarem com a moção de censura, isto pode significar o fim do governo de Theresa May. Trata-se de uma incógnita que pode resultar em eleições gerais", afirma.

Seja como for, haja Brexit ou não, o que parece fora de qualquer dúvida é que as divisões na política britânica continuam e não dão sinais de reconciliação.