Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.

Última hora

Última hora

Governo francês faz balanço de protesto "totalmente inaceitável"

Governo francês faz balanço de protesto "totalmente inaceitável"
Direitos de autor
REUTERS/Stephane Mahe
Tamanho do texto Aa Aa

Confrontos, carros incendiados, lojas pilhadas e muito gás lacrimogéneo... a noite não destoou do quarto dia de mobilização dos coletes amarelos em Paris mas domingo já amanheceu na tranquilidade. Várias cidades francesas foram palco de protestos. O ministro francês do interior anunciou terem estados nas ruas da contestação 125 mil manifestantes.

"A Escalada da violência foi travada. Foi de facto contida mas é totalmente inaceitável", declarou Christophe Castaner.

Uma onda de violência travada com o recurso a 1385 interpelações e 975 detenções.

O protesto contra o planeado aumento dos impostos sobre os combustíveis transformou-se numa exigência do poder de compra dos franceses e contra o presidente Emmanuel Macron. O primeiro-ministro quer fazer as pazes.

"Nós queremos agora reconstruir a unidade nacional através do dialogo, do trabalho, para nos unirmos. O Presidente vai discursar esta segunda-feira e vai ser a sua função a de propor medidas de emprego que sustenham o diálogo e que eu espero que vá permitir à nação inteira unir-se em tornos dos desafios que já temos e que deverão desenvolver-se nos próximos anos", disse Edouard Philippe.

Um apelo à unidade nacional num dia em que pelo menos 179 pessoas ficaram feridas conjunto dos protestos registados nas várias cidades francesas.