Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.

Última hora

Última hora

Leo Varadkar defende acordo entre Londres e Bruxelas

Leo Varadkar defende acordo entre Londres e Bruxelas
Tamanho do texto Aa Aa

A fronteira entre República da Irlanda e Irlanda do Norte tem sido um obstáculo praticamente intransponível para o Brexit. Nem Reino Unido, nem União Europeia estão interessados no regresso de uma fronteira física, daí a inclusão da famosa a salvaguarda, mas ainda ninguém encontrou uma solução que agradasse a todos.

A fronteira entre as Irlandas esbateu-se com a assinatura do Acordo de Belfast, em 1998, que na prática uniu dois países que até então estavam de costas voltadas. O Brexit irá romper essa união e criar duas realidades distintas, o desafio é fazê-lo sem que a separação reabra velhas feridas.

A questão sempre foi um dos pontos sensíveis nas discussões entre Reino Unido e União Europeia mas após vários meses de negociações, lá chegaram a acordo. Agora que Theresa May optou por tentar renegociar os termos do divórcio, o primeiro-ministro irlandês, Leo Varadkar, veio afirmar que o tempo para as negociações já acabou:

"O acordo de saída, que inclui a salvaguarda para a fronteira irlandesa, é o único em cima da mesa. Demorou mais de um ano e meio a ser negociado e tem o apoio de 28 governos. Não é possível reabrir uma cláusula específica do acordo sem as reabrir todas.

Só posso repetir o que disse antes, já fizemos várias cedências ao longo do caminho. O resultado foi esta salvaguarda com este acordo de saída, que é o resultado de todas as exigências feitas pelo Reino Unido."

A data limite para o Brexit aproxima-se a passos largos e na ilha ainda ninguém parece saber como funcionará a fronteira entre as duas Irlandas.