Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.

Última hora

Última hora

Construções de casas em colonatos na Cisjordânia ocupada

Construções de casas em colonatos na Cisjordânia ocupada
Direitos de autor
REUTERS/Amir Cohen
Tamanho do texto Aa Aa

São vistas como um dos principais obstáculos para a resolução do conflito israelo-palestiniano mas as construções de casas em colonatos judaicos na Cisjordânia ocupada prosseguem.

O autarca de Efrat, um colonato próximo de Jerusalém, confirmou uma mudança definitiva na atmosfera desde que Donald Trump chegou ao poder.

"Durante a administração do presidente Trump verificou-se definitivamente uma mudança de atmosfera na Judeia e Samaria. Antes de Trump, a política oficial, que foi repetida várias vezes pelo presidente Obama, era a de não haver nem mais um tijolo. Sabemos que hoje não é bem assim. Apercebemo-nos de como o Governo de Israel está a construir e a conseguir desenvolver planos adicionais", sublinha Oded Revivi, presidente da Câmara de Efrat.

O "efeito Trump" adensou a fricção entre as partes do conflito.

Brian Reeves, da organização não-governamental "Peace Now" diz que a construção de cada colonato "é politicamente significativa" e acrescenta: "2018 foi outro ano de aprovações em grande escala para a construção de casas em colonatos. 9500 por ano. É um grande aumento se comparado com 2015 e 2016 em que foram aprovadas 2500 unidades para cada ano."

Números revelados pela organização não-governamental mostram que nos primeiros nove meses de 2018, o "efeito Trump" se traduziu em novas construções superiores em 20% em relação a igual período do ano anterior.