EventsEventos
Loader

Find Us

PUBLICIDADE

Armas: Bolsonaro não pretende combater a violência

Armas: Bolsonaro não pretende combater a violência
Direitos de autor 
De  Nara Madeira com AP
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

O vice-presidente do Brasil afirmou, a uma rádio canarinha, que o decreto que flexibiliza a posse de armas, assinado pelo presidente, não pretende combater a violência mas cumprir uma promessa de campanha.

PUBLICIDADE

Hamilton Mourão, o vice-presidente do Brasil afirmou, a uma rádio canarinha, que o decreto que flexibiliza a posse de armas, assinado pelo presidente Jair Bolsonaro, não tem como objetivo combater a violência mas cumprir uma promessa de campanha, que vai ao encontro dos anseios do seu eleitorado. O General que gere os destinos do país enquanto Bolsonaro está em Davos, diz ainda assim que não vê, neste momento, uma "possibilidade concreta e real" de o Congresso aprovar a flexibilização do porte de armas, apesar de defender que se uma pessoa tiver "condições psicológicas e (...) técnicas" teve ter o direito de fazê-lo.

Enquanto o setor das armas pressiona o governo para que munições apenas disponíveis para fins militares passem a ser vendidas a civis, a população divide-se. Por um lado defende-se o uso e porte de armas, há mesmo quem ache que as atuais leis beneficiam os criminosos, mas há o outro lado, o de quem viveu na pele os erros do uso indevido de uma arma.

Editor de vídeo • Nara Madeira

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

As primeiras medidas de Jair Bolsonaro

Antigo chefe do exército brasileiro ameçou prender Bolsonaro se insistisse com golpe de Estado

Dezenas de milhares de brasileiros saíram à rua para mostrar apoio a Bolsonaro em São Paulo