A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

Maduro rejeita ultimato europeu

Maduro rejeita ultimato europeu
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Numa entrevista à CNN Turk, o presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, diz que "toda a Europa está ajoelhada aos pés dos Estados Unidos". Vários países europeus deram ao presidente venezuelano oito dias para convocar eleições, caso contrário reconhecerão Juan Guaidó como "presidente interino".

"A Europa tem uma posição insolente, insustentável, ridícula. E deve retirar o seu ultimato. Ninguém nos faz ultimatos. Se eles querem ir embora da Venezuela, que saiam todos e já. A Venezuela vai continuar o seu caminho. Felizmente, não dependemos da Europa", realçou Maduro.

O autoproclamado presidente interino da Venezuela, Juan Guaidó, participou este domingo numa cerimónia em memória dos que morreram nos protestos dos últimos dias.

"É o momento de estar do lado da Constituição. Não é tempo de ter medo, de recuar. É o momento de respeitar o povo da Venezuela. Soldado da Venezuela, hoje dou-te uma ordem: 'Não dispares sobre o povo da Venezuela'", apelou Guaidó.

Juan Guaidó ofereceu uma amnistia aos militares, se eles ajudarem a restaurar a democracia e a justiça na Venezuela.