Última hora

EUA impõem sanções à petrolífera venezuelana

EUA impõem sanções à petrolífera venezuelana
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

A administração Trump impôs sanções à petrolífera estatal venezuelana PDVSA, a medida mais dura, em termos financeiros, aplicada até agora pelos EUA contra o país da América Latina:

"É a hora de defender a Democracia e a prosperidade na Venezuela. Reitero que os EUA responsabilizarão as forças de segurança venezuelanas pela manutenção da segurança de todos os funcionários diplomáticos dos EUA, da Assembleia Nacional e do presidente Guaidó." - Afirmou John Bolton, conselheiro para a Defesa dos EUA.

As sanções pretendem aumentar a pressão sobre Nicolás Maduro e demonstrar apoio dos EUA a Juan Guaidó. O autoproclamado presidente interino do país espera que a pressão continue:

"Espero muita firmeza e que depois destes oito dias seja aumentada a pressão e se exija, com contundência, o reconhecimento da nossa Constituição, da luta Democrática, como está a fazer a Assembleia Nacional, a única autoridade legítima, eleita por volto popular, e também aumentar o processo de sanções, se necessário, de pressão e sobretudo de apoio humanitário." - Adiantou Guaidó.

Maduro, que conta com o apoio de países como a Rússia e a China, não está pronto para ceder e ataca Donald Trump:

"Dizemos a Donald Trump: "não te metas com a Venezuela! Donald Trump tira as mãos da Venezuela, imediatamente!" - Afirmou o chefe de Estado venezuelano.

Washington diz que as sanções contra a petrolífera venezuelana visam impedir que o governo de Maduro desvie fundos da empresa estatal, mas elas podem ajudar a agudizar a crise humanitária no país, já que esta luta de titãs não tem fim à vista.

A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.