EventsEventos
Loader

Find Us

FlipboardLinkedin
Apple storeGoogle Play store
PUBLICIDADE

Caso Benalla: Senado critica presidência de Macron

Caso Benalla: Senado critica presidência de Macron
Direitos de autor 
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Um porta-voz do Eliseu afirmou que o Executivo irá fornecer respostas factuais que irão rebater as "muitas mentiras" presentes no relatório da comissão de inquérito.

PUBLICIDADE

O Governo de Emmanuel Macron denunciou, esta quarta-feira,"muitas inverdades" no relatório da comissão de inquérito do Senado sobre o caso que envolve Alexandre Benalla, o antigo guarda-costas do presidente.

Um porta-voz do Eliseu afirmou que o Executivo irá fornecer respostas factuais que irão rebater as "muitas mentiras" presentes no documento.

O presidente da comissão de inquérito, Philippe Bas, afirmou que "não se pode deixar impune o que consideramos falso testemunho (...), foram observados vários erros, irregularidades ou falhas: sanções insuficientes desde o início, a justiça mantida à distância, uma autorização de armas obtida ilegalmente, o porte de uma arma por Benalla na presença do presidente da República, o incumprimento das regras relativas à ética em conflitos de interesse. Isso já equivale a muito, tanto que os factos estabelecidos no 1º de maio parecem, agora, ser a ponta do iceberg. "

Após sete meses de investigação, as conclusões da Comissão de Inquérito do Senado são demolidoras e bastante críticas sobre a atuação da presidência.

O Caso Benalla foi desencadeado depois do antigo chefe de segurança de Emmanuel Macron ter sido afastado por agredir manifestantes durante o 1° de maio de 2018.

Alexandre Benalla está em prisão preventiva desde terça-feira.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Três feridos em ataque à faca no metro de Lyon

Macron desloca-se à Nova Caledónia para tentar pôr termo à violência no arquipélago

Polícia francesa mata homem que tentava incendiar sinagoga em Rouen