A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

Tecnologia espacial na gestão de calamidades na Indonésia

Tecnologia espacial na gestão de calamidades na Indonésia
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Global Japan esteve em Palu, ilha indonésia de Celebes. Em setembro, um tremor de terra e um tsunami devastaram a região de Palu, na ilha indonésia de Celebres. Morreram mais de duas mil pessoas. O Japão tem experiência em gestão de risco e de desastres e decidiu ajudar as autoridades de Jacarta nos trabalhos de recuperação.

É utilizada tecnologia espacial. O satélite Daichi 2 reconstituiu a dimensão do desastre. Um radar regista o nível de deformação do solo e da vegetação, assim como as condições climáticas.

No caso da Indonésia, os dados recolhidos pelo satélite foram utilizados para criar mapas detalhados para ajudar as autoridades a encontrar as zonas onde a ajuda é mais urgente. Os dados são representados nas imagens e não é difícil para os utilizadores analisá-los. Uma colaboração entre várias entidades da região Ásia-Pacífico que ajuda à prevenção de riscos.

Com os dados recolhidos via satélite, o Governo indonésio criou um mapa com as zonas de risco mais importantes. O mapa mostra zonas de deslizamento de terras, mas também o efeito das inundações por causa do tsunami.

Com as imagens de satélite, é possível comparar as distâncias antes e depois do tremor de terra. Várias casas moveram-se até 400 metros.

Foram levados a cabo estudos geológicos e as equipas verificaram as condições do solo. Ainda debatem como resolver o problema e que medidas tomarão para atenuar os efeitos do tsunami.

O satélite Daichi 2, da Agência Japonesa de Cooperação Internacional - JAXA - permite também analisar as tendências do clima a nível global, assim como a temperatura dos oceanos, incluindo nos polos.

Países como a Indonésia poderão continuar a beneficiar da tecnologia japonesa, para uma vida melhor.