Última hora

O que acontece ao cérebro quando sofremos um traumatismo craniano?

O que acontece ao cérebro quando sofremos um traumatismo craniano?
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

O traumatismo craniano na sequência de acidentes, quedas ou ataques violentos é uma das principais causas de morte entre os jovens e um problema que afeta cada vez mais pessoas idosas.

Para perceber melhor o que acontece ao crânio e ao cérebro em caso de traumatismo craniano, a euronews entrevistou o professor David Menon, da Universidade de Cambridge no Reino Unido.

"Para a maioria das pessoas, quando alguém sofre um traumatismo craniano, há uma pancada na cabeça e uma lesão no crânio e na parte subjacente. Isso acontece, em particular quando há uma fratura no crânio e quando o crânio é empurrado para o cérebro. Mas é raro. Há dois tipos de situações comuns nas lesões de alta velocidade. Em primeiro lugar, há os casos em que crânio e o cérebro se movem até que o crânio bate em algo e deixa de mover-se, embora o cérebro continue a mover-se, batendo no interior do crânio. O interior do crânio é muito rígido e integra pontos aguçados. Por isso, o movimento contra a superfície interior do crânio pode causar um hematoma na superfície do cérebro, a chamada contusão. Pode também causar um rasgo ao nível dos vasos sanguíneos e causar sangramento na superfície do cérebro ou dentro do cérebro. Todas estas coisas são anomalias que podem ser vistas na Tomografia Axial Computorizada (TAC) de rotina que é realizada quando os pacientes chegam. O terceiro tipo de traumatismo craniano pode ser uma lesão escondida que não se vê na TAC. Trata-se de um rasgo das fibras nervosas. Todas as fibras nervosas que vêm da medula espinal até ao cérebro e todas as fibras nervosas que vêm do cérebro até à medula espinal são como talos (stalks) que descem. Quando há uma aceleração rápida ou desaceleração e quando de repente o cérebro começa a mover-se e para de mover-se, pode haver um rasgo, o que pode causar uma lesão traumática axonal. O axónio é a fibra nervosa. Essas fibras não se vêm bem na TAC. Vêm-se na Imagem por Ressonância Magnética (IRM) seja diretamente, ou devido aos vasos sanguíneos que podem rasgar-se e são a causa mais importante de deficiências graves", explicou o especialista em traumatismos cranianos.

A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.