Última hora

Última hora

Uma viagem no tempo graças ao projeto Inception

Uma viagem no tempo graças ao projeto Inception
Tamanho do texto Aa Aa

O projeto Europeu Inception aposta na modelização 3D, na realidade virtual e aumentada para facilitar e democratizar o acesso ao património cultural europeu.

Os investigadores estão a desenvolver representações 3D do Instituto dos Inocentes, em Florença, um dos edifícios que integra o projeto. Toda a informação será colocada numa base de dados que será posta à disposição dos cientistas, dos agentes turísticos e do público.

"Criamos uma nuvem digital de pontos, a partir de cada ponto obtemos um conjunto de coordenadas espaciais, com precisão milimétrica. Temos também dados sobre as cores. É o ponto de partida para fazer uma modelação tridimensional. Interpretamos cada objeto que integra o edifício", explicou Marco Medici, perito em modelização 3D.

A tecnologia virtual ao serviço do património

O projeto europeu espera contribuir para o conhecimento do património cultural através do uso de tecnologias inovadoras.

"Cada edifício é único e tem a sua própria identidade. Queremos transmiti-la às gerações futuras. Cada edifício deve ser documentado de várias formas, o que dará origem a modelos que poderão contar histórias através de vários tipos de fontes, documentos, contos, canções e tradições", disse Federica Maietti, coordenadora técnica do projeto Inception.

"O principal desafio do projeto foi reunir toda a tecnologia existente, de modo a criar as condições para melhorar o acesso à herança cultural e à compreensão desse herança. A base de dados do projeto será uma plataforma aberta. Os utilizadores poderão usar os dados, estudá-los e descarregá-los", acrescentou o arquiteto italiano Roberto Di Giulio, coordenador do projeto europeu.

A informação recolhida pelos investigadores deverá ajudar a definir novos métodos e novas ferramentas para gerir os edifícios históricos, explorar a herança artística e arquitetónica e promover novas formas de acesso ao património.

Uma viagem no tempo

"Colocamos todos os dados na nossa plataforma. Ao combinarmos as informações históricas com os modelos 3D podemos compreender a evolução do modelo. Por exemplo, podemos perceber como era o local original quando Brunelleschi desenhou o edifício e como é que a praça foi alterada ao longo do tempo em relação com o próprio edifício", explicou Federico Ferrari, perito em modelação 3D e realidade virtual.

As tecnologias criadas no âmbito do projeto Inception, coordenado pelo departamento de Arquitetura da Universidade de Ferrara, deverão ser testadas em vários sítios culturais europeus.

O resultado final será disponibilizado gratuitamente na plataforma e poderá ser consultado pelo público com a ajuda de aparelhos de realidade virtual, inclusivamente à distância, através do computador ou de uma aplicação para telemóvel.