A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

Nazanin Zaghari-Ratcliffe tem proteção diplomática

Nazanin Zaghari-Ratcliffe tem proteção diplomática
Direitos de autor
Reuters
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

O governo britânico concedeu proteção diplomática a Nazanin Zaghari-Ratcliffe, a jornalista britânica de origem persa acusada de espionagem e detida no Irão desde 2016.

Justificando a decisão, Jeremy Hunt, o chefe da diplomacia de Londres, falou de um "tratamento inaceitável" e de um comportamento “completamente injusto” por parte do governo de Teerão.

“Não tomei esta decisão de ânimo leve. Considero que o tratamento que Nazanin recebeu em três anos é inaceitável, não apenas no que diz respeito à falta de acesso a tratamento médico mas também à forma como está a ser tratado o processo contra ela. A minha decisão é um passo diplomático importante que indica a Teerão que o seu comportamento está totalmente errado”.

A decisão do governo britânico era um dos principais pedidos do marido de Nazanin, que continua na capital britânica a liderar a campanha para a libertação da mulher. Neste momento, a maior preocupação de Richard Ratcliffe é o estado de saúde da jornalista.

“Em termos práticos, o governo do Reino Unido tem mais direitos para exigir uma visita. Temos mais direitos para exigir que ela esteja bem, para exigirmos que seja vista por um médico E também pode abrir negociações e assim por diante. Na prática, foi um anúncio muito claro - vamos esperar para ver como as autoridades do Irão respondem. E isso vai avaliar o que acontece a seguir”.

Nazanin Zaghari-Ratcliffe tem 40 anos. Foi presa, há três anos, no aeroporto de Teerão com a filha Gabriella depois de visitar a família e foi condenada a cinco anos de prisão por participação nas manifestações de 2009 contra o regime. Uma acusação nega.