Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.

Última hora

Última hora

"Coletes amarelos" exigem RIC no Ato XXI

"Coletes Amarelos" exigem Referendo de Iniciativa Civil
"Coletes Amarelos" exigem Referendo de Iniciativa Civil -
Direitos de autor
REUTERS/Benoit Tessier
Tamanho do texto Aa Aa

Os "coletes amarelos" prometem não parar de lutar em França até que o governo de Emmanuel Macron lhes dê ouvidos e permita um Referendo de Iniciativa Civil (RIC) que permita ao povo alterar leis sem passar pelo parlamento.

Este foi o mote do Ato XXI do protesto apartidário uma vez mais nas ruas este sábado por toda a França. Desta vez, sem registo de incidentes de maior em Paris neste braço-de-ferro iniciado em novembro.

Envergando um "colete amarelo", Jeremy Gibon, de Le Mesnil-Amelot, um subúrbio de Paris, prometeu que o movimento não vai recuar e vai "continuar a lutar até obter o RIC".

"Porque se aquelas pessoas continuarem no governo, nós não vamos conseguir instalar o nosso sistema. É uma guerra pela exaustão. Se conseguirmos fazer tudo cair, podemos reconstruir alguma coisa. Vamos ter depois todo o tempo necessário para reconstruir porque será para nós", afirmou Gibon.

Oriunda de Saint-Cloud, Agnes Berger também se fez apresentar de "colete amarelo" vestido e garantiu que irá continuar manifestar-se "até à vitória".

"Não vamos desistir porque, hoje, ainda nada foi conseguido. Temos um sistema corrompido e uma elite que governa contra o povo. Enquanto a opinião das pessoas não for tida em conta, enquanto o povo não for a prioridade deste governo, vamos lutar", prometeu.

Para o ministério do interior, este foi o ato menos participado dos "coletes amarelos", com pouco mais de 22 mil manifestantes em toda a França, dos quais 3500 em Paris. Os "coletes amarelos" falam em mais de 70 mil manifestantes em toda a França.