EventsEventos
Loader

Find Us

FlipboardLinkedin
Apple storeGoogle Play store
PUBLICIDADE

Coletes amarelos, ato XIX: Menor mobilização e poucos confrontos

Coletes amarelos, ato XIX: Menor mobilização e poucos confrontos
Direitos de autor 
De  João Paulo Godinho
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

O Ministério do Interior francês acredita que os manifestantes não ultrapassaram os 40 mil, muito aquém da mobilização e destruição do último sábado.

PUBLICIDADE

O décimo nono sábado de protestos dos coletes amarelos em França ficou marcado por confrontos esporádicos nas principais cidades francesas.

De Nantes a Lille, passando por Lyon ou, sobretudo, Paris, as manifestações ficaram longe da violência e destruição da última semana. O recurso a gás lacrimogéneo pelas autoridades foi suficiente para resolver a maioria das perturbações.

No entanto, os manifestantes conseguiram chegar ao topo da Basílica do Sacré-Coeur e colocar um colete amarelo gigante no emblemático monumento parisiense.

Apesar deste episódio, a presença inédita de militares na capital francesa sob ordem do governo de Emmanuel Macron terá evitado mais confrontos.

Segundo o Ministro do Interior, Cristophe Castaner, terão participado cerca de 40 mil pessoas a nível nacional nos protestos, dos quais cinco mil em Paris.

"As ordens foram claras. (...) Hoje, as boas instruções foram bem aplicadas, e os resultados estão aí", disse, acrescentando: "Todos os protestos anunciados puderam decorrer com calma".

Contudo, Castaner, que deixou uma mensagem pública de agradecimento no Twitter às forças de segurança, não deixou de lamentar os confrontos que deixaram uma mulher ferida em Nice e o ataque cardíaco de um polícia em Paris.

Outras fontes • Reuters

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Vandalismo sem travões no protesto dos 'coletes amarelos'

Macron desloca-se à Nova Caledónia para tentar pôr termo à violência no arquipélago

Autoridades tentam recuperar o controlo da autoestrada de acesso ao aeroporto da Nova Caledónia