Última hora

Última hora

João Botelho adapta "O Ano da Morte de Ricardo Reis" para cinema

João Botelho adapta "O Ano da Morte de Ricardo Reis" para cinema
Tamanho do texto Aa Aa

Após 16 anos de exílio no Brasil, Ricardo Reis regressa a Lisboa. O médico heterónimo de Fernando Pessoa viveu depois da morte do autor, pelas mãos do nobel José Saramago, num romance agora adaptado ao cinema.

"O Ano da Morte de Ricardo Reis" é realizado por João Botelho, que viu na obra e na época uma ponte para a atualidade.

Para o realizador, "1936, é um ano terrível. É muito parecido com o nascimento dos populismos, dos nacionalismos, o nascimento do fascismo, a guerra civil espanhola a tudo o que hoje está a voltar. Parece que estamos a voltar à Idade Média, as guerras religiosas, o outro é que é o inimigo. E portanto é uma ideia de chamar à atenção".

O ator brasileiro Chico Díaz interpreta o papel do protagonista, que se hospeda no Hotel Bragança, um espaço recriado em Coimbra. A rodagem termina em maio, mas passa ainda por Lisboa e pelo Entroncamento.

Estima-se que o filme esteja pronto no final do ano, 35 anos depois de Saramago ter dado vida e morte a Ricardo Reis.