Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.

Última hora

Última hora

Franceses querem saber como foi possível o incêndio na Notre Dame

Franceses querem saber como foi possível o incêndio na Notre Dame
Tamanho do texto Aa Aa

Na manhã seguinte ao incêndio, a repórter da Euronews, Anelise Borges, encontrou parisienses que assistiram impotentes ao lavrar das chamas na catedral de Notre Dame. Da sua sala de estar, Roberto Pintado viu o impensável acontecer:

“Vi chamas começarem a subir na Notre Dame, Foi muito impressionante. E, então, saí para ver, como toda a gente, o que se estava a passar e a dimensão dos estragos.

E enquanto Roberto - e o mundo inteiro - assistiam, em direto e em choque, à forma como as chamas engoliam um dos monumentos mais importantes de França, os bombeiros corriam contra o tempo para tentarem salvar o máximo possível. Quase 500 homens lutaram até de madrugada, para extinguirem completamente o fogo.

“É um desperdício ver esta igreja destruída desta forma, quando deveria ser renovada para ser ainda mais bonita", lamenta Roberto.

E já nada será o mesmo a partir de agora. Guillaume Nani também vive nas proximidades da catedral e viu como o fogo ameaçou destruir a Notre Dame na noite de segunda-feira. Para ele, o mais difícil foi não poder fazer nada, ficar parado enquanto a igreja ardia, numa noite que parecia não ter fim. Um momento que lhe trouxe à memória imagens de outra tragédia:

“Isto fez-me lembrar um acontecimento ocorrido quando eu tinha 10 anos, um acontecimento que afetou não só a França mas o resto do mundo - os ataques ao World Trade Center.Ver este monumento em chamas e particularmente a coluna no topo do monumento a colapsar, fez-me sentir da mesma forma que me senti quando as torres desmoronaram ".

Ao longo do dia de terça-feira, nos arredores dos apartamentos de Roberto e Guillaume, foram-se juntando centenas de pessoas para verem, por si mesmas, a dimensão da ferida que se abrira no coração de Paris, mas também para celebrarem o facto extraordinário de a Catedral de Notre Dame ainda estar lá, no sítio de sempre.

- "É um milagre", diz uma mulher.

Outra, refere: "Ainda está de pé".

E uma terceira acrescenta: "Atravessou muitos séculos, sofreu uma série de ataques e continua de pé hoje. Penso que devemos ver nisso um sinal, nesta semana santa".

A promessa do governo francês de reconstruir Notre Dame trouxe algum conforto aos habitantes de Paris, que querem agora resposta à pergunta mais óbvia: Como foi possível acontecer algo assim? A resposta não se sabe se virá, mas as imagens de um dos principais símbolos de França a ser devorado pelas chamas ficarão,provavelmente gravadas, de forma indelével, na memória da cidade e do mundo.