A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

Outdoor da extrema-direita alemã para as europeias gera polémica

Outdoor da extrema-direita alemã para as europeias gera polémica
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Foi vandalizado um polémico outdooor do partido alemão de extrema -direita AfD para as eleições europeias. A propaganda eleitoral exibe o quadro "O Mercado de Escravos" pintado por Jean-Léon Gérôme, no século XIX, em que se vê homens árabes com turbantes a examinarem uma escrava nua, posta à venda. O slogan do outdoor da Alternativa para a Alemanha é "os Europeus escolhem a AfD" para que a "Europa não se torne uma 'Eurábia'".

O museu que detém o quadro já se insurgiu, mas a AfD considera que está a ser perseguida. "Não posso dizer como é que eles teriam agido se fosse uma ação política mais em linha com o convencional. Eles só fazem isso connosco e é por essa razão que não podemos ceder. Não há direitos de autor que possam invocar aqui, e devem estar gratos por estarmos a tornar ainda mais conhecida esta pintura, que é muito bonita", diz Ronald Gläser, da AfD.

A política alemã Renate Künast do partido Os Verdes considera que o quadro foi escolhido para criar ressentimentos xenófobos nos eleitores. "A estratégia mediática da AfD é sempre provocar, de forma a captar a atenção. É também a estratégia da extrema-direita e do Nacional Socialismo , assim como do NPD e que o terrorismo de extrema-direita sempre utilizou: nomeadamente para provocar medo e falar desta substituição étnica, desta ideia de que de alguma forma seríamos invadidos ou algo do género. Este é o mecanismo absoluto. incitar o medo", afirma Künast.

Prevê-se que nas eleições europeias do final de maio possa haver o reforço da extrema-direita. O partido AfD e a Liga italiana planeiam formar um grupo no próximo Parlamento Europeu.