EventsEventos
Loader

Find Us

FlipboardLinkedin
Apple storeGoogle Play store
PUBLICIDADE

Papa elogia vocação de "ponte" intercultural da Macedónia do Norte

Papa na Macedónia do Norte
Papa na Macedónia do Norte Direitos de autor Reuters/STRINGER
Direitos de autor Reuters/STRINGER
De  Euronews com Borjan Jovanovski
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Francisco sublinha coabitação pacífica das várias religiões e grupos étnicos do país

PUBLICIDADE

Depois da visita à Bulgária, o Papa esteve esta terça-feira na Macedónia do Norte onde a maioria da população é ortodoxa.

Além de outras comunidades religiosas como muçulmana ou protestante, o país tem cerca de 20 mil católicos.

O ex-embaixador da Macedónia do Norte no Vaticano, Bartolomej Kajtazi, vê esta visita do Papa como uma forma de incentivar o diálogo entre os cristãos ortodoxos e católicos.

"Ele escolheu esta altura para fazer as visitas. Esteve ontem na Bulgária, agora está no nosso país e no final do mês vai visitar a Roménia. São países da Europa, mas com a maioria da população ortodoxa. O Papa está tentar encorajar a população católica minoritária nestes países, mas também enviar uma mensagem para o diálogo com as igrejas ortodoxas."

Um dos objetivos da visita do Papa é mostrar o compromisso do Vaticano com a unidade e os processos de integração europeus, apoiando assim as aspirações da Macedónia do Norte que pretende aderir à União Europeia. Kajtazi diz que o "projeto de unidade europeia é uma prioridade da Santa Sé e da administração do Vaticano devido à importância do continente europeu que é basicamente a raiz do Cristianismo e do Vaticano. A Santa Sé quer ajudar a Europa a manter a raiz e a moralidade cristãs."

Durante a visita a Skopje, o Papa recebeu uma pintura como forma de agradecimento pelo incentivo que deu à boa convivência entre as várias religiões no país. Francisco encontrou-se ainda com um sobrinho da Madre Teresa de Calcutá que nasceu na cidade.

Gomar Alojz, sobrinho da santa, considera que o "Papa deve ter ouvido e agora quer ver o que está a acontecer na Macedónia e sabe que existem muitas religiões aqui que se encaixam perfeitamente. Então ele queria mostrar: Está aqui um pequeno país onde as coisas funcionam perfeitamente sem nenhum esforço."

A visita do Papa foi também percebida como um reconhecimento da coabitação pacífica entre as diferentes culturas e religiões na Macedónia que o Papa definiu como uma ponte entre a civilização ocidental e oriental.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Papa Francisco conclui primeiro dia de visita à Roménia

Papa Francisco na Bulgária

Papa doa meio milhão para ajudar migrantes