Última hora

Última hora

Rumo às eleições europeias: O Silicon Valley da Europa é na Roménia

Rumo às eleições europeias: O Silicon Valley da Europa é na Roménia
Tamanho do texto Aa Aa

Imersos em história, mas de braços abertos a todas as inovações da tecnologia.

A cidade de Cluj Napoca, no norte da Roménia, é descrita como o Silicon Valley da Europa.

O Gabor e Damon foram até lá para saber como é que se desenvolveu tanto tecnologicamente, tornando-se um verdadeiro íman para os jovens trabalhadores, que de outra forma poderiam ir para o estrangeiro.

Fizeram um passagem pela Nordlogic que está aqui implantada há 13 anos.

A força de trabalho é de mais de 50 pessoas, aproveitando o talento de duas universidades da cidade especialistas em software tecnológico. O Adrian, de 28 anos, é uma delas. Estudou em Cluj e não olhou para trás: . O trabalho e o salário são grandes incentivos.

"Recebemos o mesmo, quase o mesmo salário que em qualquer outro lugar na UE ou noutros países. Talvez para outros setores seja um pouco diferente, mas para as tecnologias informáticas é quase o mesmo. Houve uma altura em que pensei em sair, mas agora estou bem aqui em Cluj, toda a gente, mesmo de outros países, está a vir para aqui e eu gosto muito disto. Sinto-me em casa".

Atualmente, existem mais de 700 start-ups em Cluj - graças a um ecossistema fértil, impulsionado pelo investimento estrangeiro. A Grã-Bretanha e os EUA são grandes clientes para esta empresa. Trata-se apenas de conseguir mão-de-obra mais barata?

"Definitivamente não, provavelmente foi há 20 ou 15 anos, mas acho que a Roménia e especialmente Cluj começaram a tornar-se um centro de excelência para muitas empresas. É reconhecido o talento e o valor que podemos trazer para os projetos, a forma como pensamos, de forma crítica e criativa para responder aos nossos projetos. Penso também que as barreiras linguísticas são menores no nosso país, muitas pessoas, e especialmente em Cluj, falam inglês, pelo que podem aceder a melhores clientes e oportunidades vindas do estrangeiro", diz Ciprian Sorlea, diretor da Nordlogic Software.

Este empresário está satisfeito por estar na UE, o que facilita os negócios além fronteiras, graças ao apoio limitado do Governo romeno e algum financiamento da União Europeia. Ciprian diz que a Roménia precisa de tirar o máximo partido da sua qualidade de membro.

"Acho que é importante que as coisas que são decididas e as oportunidades criadas estejam a voltar ao nosso país porque nós entendemos exatamente como tirar proveito delas. Ao nível da União Europeia não tenho razões para acreditar que o desenvolvimento não vai avançar na direção certa e tudo o que temos de fazer é descobrir onde ele está, qual é o nosso lugar nessa direcção, onde é que nos encaixamos".

Damon Embling, Euronews: "Vamos agora para a Hungria, atravessando a fronteira da Roménia. São cerca de sete horas de carro à nossa frente. Esta é a pátria de Gabor, o que é que nos vais mostrar lá?"

Gabor Tanacs, Euronews: "Bem, eu pretendo mostrar-vos como a crise migratória afectou a mentalidade da Hungria rural, vou levar-vos a uma zona rural perto da fronteira e levar-vos a agricultores que nos dirão como tudo isto aconteceu.