A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

A guerra comercial entre os EUA e a China em números

A guerra comercial entre os EUA e a China em números
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

A guerra comercial entre as duas maiores economias do mundo agravou-se nos últimos dias com a subida das taxas alfandegárias entre os Estados Unidos e a China.

Desde julho do ano passado, os Estados Unidos já impuseram tarifas adicionais sobre o equivalente a 250 mil milhões de dólares de produtos chineses e Trump está a ameaçar mais taxas sobre outros 300 mil milhões de dólares.

A China impôs taxas adicionais sobre 110 mil milhões de dólares de produtos provenientes dos Estados Unidos. E só terá agora 10 mil milhões de dólares de produtos, como o crude ou grandes aeronaves, para retaliar contra eventuais futuras taxas impostas pelos Estados Unidos.

Esta guerra está a afetar os mercados, como sublinha o Professor de Economia Jeffrey Sachs: "Cada vez que são impostas tarifas, a nossa bolsa cai e a da China também. E isto é no mínimo um sinal de que aqueles que estão a investir capital acreditam que isto é mau para os dois países".

Os Estados Unidos devem aprovar esta semana uma lei que vai implicar a proibição do uso de equipamentos da Huawei.