Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.

Última hora

Última hora

Quando a música apaga fronteiras

Quando a música apaga fronteiras
Tamanho do texto Aa Aa

Luis vem de Zamora, no lado espanhol e Paulo de Miranda do Douro, no lado português. Encontram-se na fronteira entre os dois países para fazer aquilo que os apaixona a ambos: a música. Juntos, criaram o projeto "Músicas da Raia", uma ponte musical entre Portugal e Espanha. Na região raiana do Douro, na música, como em tudo o resto, a fronteiras está muito diluída.

"Este projeto dilui, apaga as fronteiras. Somos um todo. É uma região. Eu vivo em Miranda e a cidade grande mais próxima é Zamora. É a minha região. A minha região é Trás-os-Montes, mas é também Castela e Leão", conta Paulo Meirinhos.

"Voltamos a estar unidos graças à União Europeia. A nossa música, tanto do lado de Portugal como do lado de Espanha, é totalmente exportável. Temos muitíssima força, muitíssima identidade relativamente a outros países europeus e, hoje em dia, a música que fazemos poderia perfeitamente encaixar em qualquer um dos festivais da Europa como algo identitário, como algo único e com muita personalidade", diz Luis Antonio Pedraza.

Cantam em três línguas - português, espanhol e mirandês. Na música que fazem, cruzam influências dos dois países e usam instrumentos típicos da região, como as gaitas mirandesa e sanabresa.