EventsEventosPodcasts
Loader
Find Us
PUBLICIDADE

Quando a música apaga fronteiras

Quando a música apaga fronteiras
Direitos de autor 
De  Ricardo Figueira com LUSA
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Dois músicos, um português e um espanhol, deram nascença a um projeto que celebra as tradições da raia duriense.

PUBLICIDADE

Luis vem de Zamora, no lado espanhol e Paulo de Miranda do Douro, no lado português. Encontram-se na fronteira entre os dois países para fazer aquilo que os apaixona a ambos: a música. Juntos, criaram o projeto "Músicas da Raia", uma ponte musical entre Portugal e Espanha. Na região raiana do Douro, na música, como em tudo o resto, a fronteiras está muito diluída.

"Este projeto dilui, apaga as fronteiras. Somos um todo. É uma região. Eu vivo em Miranda e a cidade grande mais próxima é Zamora. É a minha região. A minha região é Trás-os-Montes, mas é também Castela e Leão", conta Paulo Meirinhos.

"Voltamos a estar unidos graças à União Europeia. A nossa música, tanto do lado de Portugal como do lado de Espanha, é totalmente exportável. Temos muitíssima força, muitíssima identidade relativamente a outros países europeus e, hoje em dia, a música que fazemos poderia perfeitamente encaixar em qualquer um dos festivais da Europa como algo identitário, como algo único e com muita personalidade", diz Luis Antonio Pedraza.

Cantam em três línguas - português, espanhol e mirandês. Na música que fazem, cruzam influências dos dois países e usam instrumentos típicos da região, como as gaitas mirandesa e sanabresa.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Orkesta Mendoza traz a América Latina à Europa

Investimento cultural pode combater desigualdades

Novo aeroporto em Alcochete vai chamar-se Luís de Camões e Alta Velocidade está a caminho