Última hora
This content is not available in your region

Sassoli lamenta protesto de eurodeputados defensores do Brexit

euronews_icons_loading
Sassoli lamenta protesto de eurodeputados defensores do Brexit
Tamanho do texto Aa Aa

David Maria Sassoli falou hoje pela primeira vez como novo presidente do Parlamento Europeu, e entre as ideias para o futuro não esqueceu o protesto da véspera relacionado com o Brexit.

O socialista italiano, de 63 anos, manifestou a tristeza pelo comportamento dos cerca de 20 eurodeputados britânicos.

"Lamento ter visto algumas costas voltadas no hemiciclo quando tocava o hino da Europa. Tenho pena, porque, no fundo, estamos aqui para juntos tentarmos encontrar soluções para os problemas, com a ideia de que a Europa é uma casa para todos e que as políticas que a desenvolvem se desenvolvem em democracia e com respeito", afirmou o transalpino aos jornalistas.

Já no discurso proferido no hemiciclo de Estrasburgo imediatamente após a sua eleição, o socialista italiano fez por diversas vezes referência ao combate que a Europa travou e venceu contra os nacionalismos, e defendeu ser necessário “recuperar o espírito dos pais fundadores do projeto europeu, que souberam por de parte as inimizades da guerra e os estragos do nacionalismo”, que volta a ser uma ameaça.

“Nestes meses, muitas pessoas apostaram no declínio do projeto europeu, alimentando divisões e conflitos que pensávamos serem uma triste lembrança da nossa história. Mas os cidadãos mostraram, pelo contrário, que ainda acreditam neste projeto extraordinário, o único capaz de dar resposta aos desafios globais que temos pela frente”, disse, referindo-se à elevada taxa de participação nas eleições europeias de maio passado.

“Não somos um acaso da história, somos os filhos e os netos daqueles que conseguiram encontrar um antídoto contra os nacionalismos que envenenaram a nossa história. Somos europeus, e todos somos apaixonados pelos nossos países, mas o nacionalismo tornado ideologia e idolatria leva a conflitos devastadores”, insistiu.

A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.