Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.
Última hora

Sassoli lamenta protesto de eurodeputados defensores do Brexit

Sassoli lamenta protesto de eurodeputados defensores do Brexit
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

David Maria Sassoli falou hoje pela primeira vez como novo presidente do Parlamento Europeu, e entre as ideias para o futuro não esqueceu o protesto da véspera relacionado com o Brexit.

O socialista italiano, de 63 anos, manifestou a tristeza pelo comportamento dos cerca de 20 eurodeputados britânicos.

"Lamento ter visto algumas costas voltadas no hemiciclo quando tocava o hino da Europa. Tenho pena, porque, no fundo, estamos aqui para juntos tentarmos encontrar soluções para os problemas, com a ideia de que a Europa é uma casa para todos e que as políticas que a desenvolvem se desenvolvem em democracia e com respeito", afirmou o transalpino aos jornalistas.

Já no discurso proferido no hemiciclo de Estrasburgo imediatamente após a sua eleição, o socialista italiano fez por diversas vezes referência ao combate que a Europa travou e venceu contra os nacionalismos, e defendeu ser necessário “recuperar o espírito dos pais fundadores do projeto europeu, que souberam por de parte as inimizades da guerra e os estragos do nacionalismo”, que volta a ser uma ameaça.

“Nestes meses, muitas pessoas apostaram no declínio do projeto europeu, alimentando divisões e conflitos que pensávamos serem uma triste lembrança da nossa história. Mas os cidadãos mostraram, pelo contrário, que ainda acreditam neste projeto extraordinário, o único capaz de dar resposta aos desafios globais que temos pela frente”, disse, referindo-se à elevada taxa de participação nas eleições europeias de maio passado.

“Não somos um acaso da história, somos os filhos e os netos daqueles que conseguiram encontrar um antídoto contra os nacionalismos que envenenaram a nossa história. Somos europeus, e todos somos apaixonados pelos nossos países, mas o nacionalismo tornado ideologia e idolatria leva a conflitos devastadores”, insistiu.