Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.
Última hora

Eurozona aposta em Lagarde para relançar a economia

Eurozona aposta em Lagarde para relançar a economia
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Numa recente presença no programa televisivo "The Daily Show", Christine Lagarde afirmou: "sempre que uma situação é verdadeiramente má, chama-se uma mulher".

É de crer que os líderes europeus ouviram e aproveitaram para a trazer para o BCE. A missão principal é relançar o crescimento económico e a tarefa não será fácil.

O crescimento da Eurozona tem sido bastante moderado. No primeiro trimestre deste ano foi de apenas mais 0,4% relativamente ao último trimestre do ano passado e em termos anuais a economia do euro só cresceu 1,2%.

E Lagarde não terá muita margem de manobra para implementar novas políticas, no atual contexto económico. Para já vai seguir o caminho já delineado por Mario Draghi.

A taxa de juro de referência mantém ainda o histórico nível zero para onde caiu durante a crise e os juros dos empréstimos bancários continuam a negativo: - 0,4%.

Por outro lado e fruto da instabilidade internacional, a inflação também não dá sinais de subida, matendo-se abaixo da barreira dos 2% em que o BCE apostava a estabilização.

Em relação ao rumo das políticas do banco europeu espera-se da até agora diretora do Fundo Monetário Internacional (FMI), consistência com as suas declarações públicas sobre a economia mundial. No dia 6 de junho declarava: "Acreditamos que, para funcionar bem, a economia global precisa de um sistema de comércio internacional mais aberto, mais estável, mais transparente, mais previsível e baseado em regras".

Christine Lagarde suspendeu o mandato em Washington enquanto espera a confirmação do novo cargo pelo Conselho Europeu, mas ainda não renunciou. Mas, nos bastidores, já se procura o novo diretor do FMI.