Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.
Última hora

Quem vai suceder a Christine Lagarde?

Quem vai suceder a Christine Lagarde?
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

A nomeação de Christine Lagarde para presidente do Banco Central Europeu abre uma corrida pela liderança do Fundo Monetário Internacional (FMI).

De acordo com os requisitos oficiais, o sucessor ou a sucessora de Lagarde terá de ter um historial significativo na elaboração de políticas económicas a um nível senior.

O FMI tem sido tradicionalmente liderado por um europeu, enquanto o Banco Mundial tem sido dirigido por um norte-americano.

Cinco dos 11 líderes do FMI foram cidadãos franceses, incluindo os últimos dois. Isto pode eventualmente reduzir as hipóteses de Benoît Coeuré, Bruno Le Maire ou de Pierre Moscovici.

O britânico Mark Carney, nascido no Canadá e detentor de um passaporte irlandês, é apontado como um dos candidatos mais fortes. O seu mandato como governador do Banco de Inglaterra acaba em janeiro do próximo ano.

É bem visto pelos ministros das Finanças e pelos governadores dos bancos centrais. No dia a seguir ao referendo do Brexit, Carney prometeu um apoio extra ao sistema financeiro. Desde então foi acusado de envolvimento na política com um aviso sobre o Brexit no caso de um não acordo.

Outro dos nomes apontados é George Osborne, ex-ministro das Finanças do Reino Unido. Terá dito aos seus amigos que está a ponderar esta possibilidade. Mas a reputação de ser um dos arquitetos da austeridade no Reino Unido e o seu historial no Brexit podem ser obstáculos.

Os europeus do Leste ficaram de fora dos principais cargos da União Europeia. Daí que Kristalina Georgieva possa ser candidata. Seria a segunda mulher a liderar o FMI.

A búlgara tem um longo currículo em posições-chave da Comissão Europeia e das Nações Unidas. Atualmente é a diretora-executiva do Banco Mundial.

Outro possível candidato europeu é Mario Draghi, presidente cessante do Banco Central Europeu.

Com 71 anos ultrapassa a idade limite para o cargo. Mas se Christine Lagarde pode dirigir o Banco Central Europeu sem ter experiência em política monetária ou em bancos centrais, pode ser que haja alguma flexibilidade, tendo em conta o currículo de Draghi.